Seguidores

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Hoje é dia de festa

Hoje, 27 de Abril, uma amiga muito especial inicia um novo ciclo em sua vida....
Essa menina que sabe como ninguem usar as palavras, tocou suavemente minha'lma com suas lindas poesias...
à ela dedico meu novo recomeçar...
ERIKAH AZZEVEDO



A difícil tarefa de se conhecer….

Tenho uma personalidade forte, costumo tomar conta das situações , mas por vezes sinto-me acuada, como uma largata, e então quero ser a protegida, sinto tanto a necessidade deste meu invólucro quanto das minhas asas....eu não tenho uma forma só de ver as coisas, ajo muitas vezes com uma complexidade que nem eu mesma entendo...não sou sempre fim , nem começo, sou mais caminho... ando pelos meandros da minha historia ...entre o cheio e o vazio, no que transborda..entre o quente e o frio..no que ferve.

Eu não sou linear...nunca fui

Nem tão pouco conceitual.
Contraditoriamente tento me definir...pouco consigo...poucas vezes.
Eu sou a que mergulha em si mesmo só pra sentir perder o ar..... a melhor maneira de ansiar o ar é se sentir sufocar...e ar é vida!
Eu sou a que procura em mim me entender... a que se pergunta todos os dias quem é você.


...ErikaH Azzevedo...

Poesias Erikah Azeveddo - Imagens Vladimir Clavijo

As palavras querem ser pilares... 
Erguer nossos dias, sustentá-los com a mais plena alegria..
Ser asas, nos levar pra longe de nós, ainda mais perto dos nossos sonhos...
Ser mar, valorizar em cada um de nós a profundidade de sermos quem somos...
Ser pés, fazer-nos raízes, nos ensinar a caminhar...
Ser mapa para nos situar em relação ao mundo e ao outro....
Ser tempo, trazer respostas, diminuir os sofrimentos...
Querem ser água sem ter que se transformar em lágrimas 
e querem ser boca pra se transformar em sorrisos....
Querem ser mais..
Querem ser casa, morar no peito, acolher o sentimento....
nos beijar bem dentro... 
Ser beijo infinito... 
Ser da vida o momento mais bonito... 
O corpo da palavra quer mesmo é ser no outro mais que corpo,
O corpo da palavra quer ser no outro alma.
Na alma tirar o seu próprio provento...
Ser dela o seu maior alimento.
A sua insaciável fome...
.
...ErikaH Azzevedo...
Tinha pupilas que pareciam serem feitas de purpurina, 
eram cheias de pontos brilhantes no fundo...
minúsculas estrelinhas , grandes significados....
é que via poesia em tudo que tocava, 
ou será que tudo que ela tocava é que virava poesia? 
Seus olhos pulsavam vida! 

…Erikah Azzevedo…
O poeta carrega consigo 

um baú de sentimentos 
que se traduzem em palavras  
que lhes agarra a pele 
por uma vida inteira...

A estrada é a de dentro 

E o caminho é de sensibilidades 
As palavras são pegadas 
Pedaços do sentir

São versos que gritam , 

para que todos ouçam. 
o que não se pode calar

Quem vê de longe não pensa 

Nem se quer duvida 
que nascem eles do silencio 
do lado avesso de quem sente ... 
Em sentir pulsar no peito 
o coração de um poema.

...Erikah Azzevedo...
Quero todas as palavras aqui,
escritas na pele ,
descrevendo o que sinto
como suor que desliza
e arrefece o fogo que arde por dentro,
numa febre do sentir.
Quero sentir o gosto delas
e ir me alimentando pouco a pouco
como quem deseja perenizar
o instante - transitório - momento - que - se – sente
Quero-as doces, salgadas, amargas, suaves
marcantes…
Quero as boas e as ruins..
minhas ..dos outros
feias ...bonitas
santificadas ..pecadoras
Que elas me belisquem ou me acariciem
mas mostrem-me que estou viva
e que preciso cada vez mais sentir
Quero somente o poder sentí-las
fecundando meu ventre de vida,
fazendo crescer tudo aqui dentro.
..um mundo do sentir a emergir
Pena que é pele, e escreve
Pêlo que é apelo...e descreve
Epiderme sendo epicentro dos sentidos
Escrita palavra..tatuagem
Numa pele que ,
sendo noite ou sendo dia,
ser lida sentencia.
...Erikah Azzevedo...

Rabisco a minha vida como aprendi... 

Racunho as minhas horas como aprendiz .

Gosto da folhas em branco 

A espera da palavra que cria ou restaura 
Pacifica ou conflitua 
Liberda ou escraviza

Páginas em branco são campos estéries e férteis 

Criando espaço para o que ainda há de vir

Gosto sim das páginas em branco 

mas não esqueço que as folhas amareladas, 
Já escritas por mim 
São cobaias do que eu sobrevivi. .

E assim vou vivendo 

na ansia de novas páginas por preencher 
Exclamo, pontuo e reclamo 
as horas adormecidas que não explodem.

A vida precisa urgentemente 

escrever momentos plenos, felizes...intensos! 
A vida, precisa desesperadamente 
escrever momentos únicos...

.Eu preciso!
....Erikah Azzevedo...





Quer conhecer mais? Acesse

Perfil de Erikah Azzevedo

domingo, 24 de abril de 2011

Pascoa, Renascimento

Apesar das ruínas e da morte
onde sempre acabou cada ilusão
a força dos meus sonhos é tão forte
que de tudo renasce a exaltação
e as minhas mãos nunca estão vazias.

[Sophia de Mello Breyner]